Skip links

Home / Relatório de Transparência e Igualdade Salarial

Relatório de Transparência e Igualdade Salarial

Nossa história; nossos profissionais.

Publicados em novembro de 2023, o Decreto 11.795, apoiado pela Portaria 3.714, que regulamentam a «Lei da Igualdade Salarial», estabelecem que as empresas devem divulgar, em suas páginas na web, o relatório de transparência salarial emitido semestralmente pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com o objetivo de dar visibilidade às suas políticas de remuneração, a fim de estimular os empregadores ao compromisso público com a equidade de gênero nas relações de trabalho.

A medida vem ao encontro do nosso compromisso de eliminar qualquer forma de discriminação com base em identidades e expressões de gênero, não apenas em nossa política de remuneração, mas também em nosso quadro de acesso às novas oportunidades de trabalho.

O primeiro relatório do MTE foi emitido no primeiro semestre de 2024 e, a seu respeito, não nos parece razoável apenas publicá-lo sem esclarecer que o documento, assim como se apresenta, não reflete, ? nos fatos ?, a riqueza de nossa diversidade e de nossa história de profundo respeito pelas mulheres.

Bastante impreciso, o relatório oficial do MTE «informa», por exemplo, que a soma total de mulheres inscritas no quadro geral de empregados da Cobsen é igual a zero, contrariando o fato de que exatos 30% de nossos profissionais são mulheres ? uma quantidade bastante significativa, considerando que a Cobsen lida com projetos de metalurgia.

A ausência completa de nossas profissionais no relatório oficial sugere um possível comprometimento da confiabilidade do processo de geração dos relatórios pelo MTE.

A imprecisão do relatório oficial nos parece ainda mais grave se considerarmos que a Cobsen é codirigida justamente por uma mulher. E mais além: uma mulher que, antes de se tornar sócia, fez parte do quadro operacional da empresa ? e ascendeu nele, de cargo em cargo, apenas em razão de seus próprios méritos.

Por outro lado, ainda que o relatório do MTE estivesse certo a respeito da quantidade de mulheres no quadro geral de funcionários, a abordagem metodológica do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) despreza algumas variáveis elementares de uma política de remuneração verdadeiramente equânime, ao desconsiderar a natureza do processo fabril da Cobsen, a complexidade dos cargos, as áreas de atuação, o «tempo de empresa», as diferentes jornadas de trabalho, a progressão gradual do colaborador dentro da sua função ao longo do tempo (e, portanto, os diferentes tempos de experiência), sem falar na evolução individual dos profissionais em termos de competências técnicas e de habilidades.

Nós, da Cobsen, admitimos que muitos passos ainda precisam ser dados em matéria de governança; e que o respeito pela diversidade e equidade de gêneros é uma construção que leva tempo e que solicita um processo educativo contínuo.

Sem dúvida alguma, a «Lei da Igualdade Salarial» é uma iniciativa necessária e que pode causar um impacto realmente significativo na equidade entre homens e mulheres nas relações de trabalho.

Mas também é verdade que o modelo do relatório precisa ser ? urgentemente ? aprimorado.

Bem por isso, permanecemos à disposição de nossos profissionais, da comunidade local e das autoridades do MTE, a fim de construirmos ? juntos ?, com os nossos melhores esforços, um relatório que, de fato, retrate de maneira fotográfica as práticas salariais das empresas e a consistências de seus compromissos com a equidade de gênero nas relações de trabalho.

Baixar PDF